A Arte da Dança Andreza Santana
     Bailarina   Escola   Aulas   Show   Cia de Dança   Vídeos   Depoimentos   Profissionais   Parceiros   Contatos
Depoimentos
Esse espaço é para que nossos alunos possam compartilhar suas experiências, benefícios e mudanças que acontecem ao iniciar nossos cursos de danças.

Se você é nosso aluno e quiser publicar sua experiência, mande um texto para contato@artedadanca.com.br com título DEPOIMENTO.


(Patricia Silva)
"Há anos venho postergando essa vontade em aprender a dançar, talvez por causa da "bendita" insegurança que tenho em achar que não tenho capacidade e aí agente vai achando motivos para atrasar nossos desejos, porque via as pessoas dançando nas festas e achava que nunca seria capaz, ah e quando me atrevia a tentar ouvia comentários de que eu era sem jeito para dançar, enfim dentro de mim tinha certeza de que um dia iria aprender, mas como tudo na nossa vida tem dia e hora para acontecer...

No ano passado (2010) comecei a procurar escolas de dança, mas como estava terminando a faculdade deixei mais uma vez para depois, e no começo do ano achei a escola a Arte da Dança, liguei para a escola, fui super bem atendida pela Andreza, senti é essa a escola! Avisei meu namorado para irmos a uma aula experimental e ele topou.

De cara adoramos o pessoal e isso nos motivou a continuar.

A dança para mim já tinha um olhar especial, hoje ela me tem por inteira, amo muito dançar, faz bem para o meu humor, para a minha saúde (corpo e mente), sinto mais equilíbrio, mais confiança que antes, tenho muito o que aprender, mas sinto a cada vez melhorando. Não consigo mais ficar sem dançar uma semana, é um pouco viciante.

E também agradecer por conhecer os professores (as) Andreza, Mary, Rodrigo e Thiago, que fazem da escola um espaço único e das aulas uma fusão de aprendizagem com muito divertimento e aos colegas que também dão vida a escola e que tornam as aulas sempre animadas."

(Marilisi Prado)
"Posso dizer que a Dança me fez buscar muitas coisas boas. Ela mexeu com a minha vida e realmente se tornou parte dela. Amo dançar e a Dança- do-ventre além de ser linda e artística ela contagia a todos que está ao redor. Meu marido adorou e todas as minhas amigas também. Agradeço muito a minha prof. Andreza Santana, por fazer parte disso. Bjs"

(Carol - aluna de Dança do Ventre Intermediário)
"Comecei a fazer dança do ventre há quase dois anos atrás, um pouco antes de me casar.
A minha idéia com a dança era fazer uma atividade que me desse prazer, diminuísse os níveis de stress e lidar um pouco melhor com a minha TPM e cólicas menstruais, que sempre me incomodaram consideravelmente.
Em pouco tempo de prática, 2 ou 3 meses, já conseguia notar várias diferenças: estava menos estressada, mais feliz, com mais auto-estima e mais magra. A parte da perda de peso eu realmente não estava esperando, nem a cintura mais fina, ou braços mais torneados. A TPM e as cólicas aos poucos foram melhorando, bem aos poucos, mas dando pra sentir diferença.
Depois de quase um ano de dança, eu comecei a perceber o quanto a minha timidez me atrapalhava sem que eu percebesse, ou o quanto eu evitava que as pessoas prestassem atenção em mim, e essa parte foi um pouco mais difícil de lidar. Ouvia toda aula da professora para eu não olhar para o chão enquanto dançava, e comecei a perceber o quanto eu tentava me esconder, mesmo dançando. E comecei a perceber o quanto eu me escondia no meu dia-a-dia sem perceber.
Aos poucos isso também foi mudando: comecei a me vestir de forma diferente, usar roupas mais justinhas, mais coloridas, comprei um vestido cor-de-rosa, comecei a prestar mais atenção em mim mesma, e comecei a me soltar mais nas aulas.
Algumas coisas ainda são difíceis, como não olhar pro chão enquanto danço, ou gostar de alguns exercícios mais livres, mas eu acredito que da mesma forma que meu corpo mudou, minha postura mudou, meu humor mudou, minha auto-estima mudou e minha TPM mudou,essas partes que ainda são complicadas também vão mudar. Pra melhor."

(Elis Regina - Aluna de Dança do Ventre Intermediário)
"A vontade de iniciar uma atividade física e a necessidade que a idade me cobrava fizeram adotar a Dança do Ventre como exercício para meu corpo, atividade para minha mente e um prazer para meu espírito. Sempre achei academia muito chato e fazer musculação era praticamente um exercício de tortura, você sozinha 'puxando ferro' não combinava definitivamente comigo.
Ao descobrir que o que eu realmente queria era praticar uma Dança, não tive dúvidas, era a Dança do Ventre. Além de sua magia e encanto, estaria me exercitando com prazer. Nunca consegui levar uma academia por mais de um ano, sempre foi um dinheiro mal investido, hoje conto os dias para ir às aulas. A Dança do Ventre me trouxe benefícios em diversos aspectos.
Corpo: Ajudou com minha eterna dor na coluna (sofro de escoliose), minha diária prisão de ventre (olha o trocadilho), melhorou minha coordenação motora (só na aula descobri como sou descoordenada... rs), além da postura, agilidade, condicionamento físico.
Mente: a dança mexeu muito com minha sensibilidade, às vezes parece tocar sentimentos e sensações que estavam bem escondidos, aqueles que guardamos a sete chaves. Trabalhá-los ajudou a me conhecer melhor, melhorou minha inibição, desenvoltura e auto-estima.
Espírito: Lavar a alma. Uma dança completa. Trabalhando o interior e exterior. Sensação de paz, relaxamento, praticamente uma meditação. Você se sente feliz e renovada a cada aula.
Todos esses benefícios foram sentidos após iniciar a Dança, mas vale destacar aqui a importância de encontrar um bom profissional. São poucos os locais que oferecem essa atividade e entre eles há ainda muito 'amadorismo'. Somente após pesquisar e participar de algumas aulas experimentais pude perceber a diferença. Não tive dúvidas quando encontrei uma profissional qualificada, a diferença é nítida, fiquei encantada e satisfeita com o método utilizado. Há dois anos sou uma pessoa que pratico uma atividade física que me dá prazer, beneficia meu corpo, minha mente e ainda me fez conhecer pessoas divertidas e maravilhosas."

(Raven Kirsh (Marcela) - Aluna de Dança do Ventre Básico)
Como já contei pra muitas pessoas, sempre tive vontade de fazer dança do ventre porque achava encantador. Os movimentos graciosos e certa introspecção para o controle dos movimentos. Por muito tempo protelei começar a fazer devido ao meu 'corpinho'... Depois de conhecer uma terapeuta que usava dança para terapia, apesar de não ter sido meu caso, resolvi que seria uma boa terapia pra mim e foi assim que começou. Busquei fazer a dança sem a necessidade de me apresentar e me expor. E percebi que a Dança do Ventre realmente encanta.
Tive uma primeira experiência que não se enquadrou muito no que eu buscava, mas valeu... Aprendi que devemos buscar até encontrarmos a pessoa certa para nos orientar na jornada... O diferencial foi que não desisti mesmo não estando com a pessoa certa para mim, fui atrás de alguém com quem houvesse mais afinidade.
Encontrei a Andreza Santana! E preciso dizer que a forma com que um(a) educador(a)/instrutor(a)/orientador(a) leva as aulas faz uma diferença incrível, fora o local, o clima e fundamentalmente a competência. Cada um sabe com quem se afina.
Agora vamos ao que interessa: a Dança do ventre propriamente dita. Fui atrás desta dança por ser algo que me encantava e algo que eu não desanimaria de fazer... Já entrei em academia para fazer musculação várias vezes, mas desisto em questão de meses porque não me identifico com isso e dançar, pode até ser uma 'trabalho mais lento' para o corpo, mas eu enxergo que é um trabalho em longo prazo que vai envolvendo mais e mais.
Primeiro ponto de alta relevância: dançar é automotivador para mi. É algo que faço por mim e para meu desenvolvimento. Minha busca é uma ligação maior com meu corpo mesmo, busca de consciência corporal, sou muito 'cabeça'/mente funcionando..e o corpinho em segundo plano, senão mais adiante.
Segundo ponto, portanto, a busca de consciência corporal. Quando vc se identifica com uma atividade, é imprescindível que deseje sempre evoluir e crescer, com isso, a busca de alongamento, elasticiade e tônus muscular de forma agradável para mim compreende a tal consciência corporal, pode ser mais, por enquanto, estou nesse nível.
Terceiro ponto: Filosofia, afinal dizem por aí, mente sã, corpo são... Há algum tempo ando com uma incompatibilidade de que o corpo que tenho, não é o corpo que sinto... Estou buscando harmonia entre 'o céu e a terra' ou o sagrado e o profano, como sempre digo... E aproveito pra filosofar sobre isso nas aulas de DV.
E no fim, os três apontamentos convergem para uma integração 'minha comigo mesma'".


Bailarina   Escola   Aulas   Show   Cia de Dança   Vídeos   Depoimentos   Profissionais   Parceiros   Contatos
Arte da Dança - Todos os direitos reservados - 2010 - Internet Paulista
Av. Presidente Kennedy, 1336 - 1º andar - São Caetano do Sul / Tel. 11 2804-0280 e 11 99140-0105